Relógio carbônico

Blog monitorado

Monitoramento de terremotos

Image and video hosting by TinyPic

O sol hoje! clique aqui.

Clique e veja a lua

Clique e veja nosso planeta.

Tempo

OBA

TRADUTOR

Arquivo do Blog

Parceria







Terremoto no Haiti foi causado pelo deslizamento de placas tectônicas.




O mundo presenciou na noite do dia 13 de janeiro uma das mais impressionantes forças da natureza, materializada na forma de um poderoso terremoto de 7.0 graus de magnitude ocorrido no sul da Ilha de Hispaniola, próximo a Porto Príncipe, no Haiti.

O abalo ocorreu às 19h53 pelo horário de Brasília (17h53 hora local) e foi localizado10 km abaixo do nível do mar, sob as coordenadas 18.45N e 72.44W, aproximadamente a 15 km do sudoeste de Porto Príncipe e 145 km a oeste-noroeste de Barahona, na República Dominicana. Devido às características do tremor, o Centro de Alertas de Tsunamis do Pacífico emitiu alerta de ondas gigantes para a Região do Caribe, mas uma hora depois foi suspenso.

Dezenas de aftershocks (réplicas que ocorrem após um terremoto de grande porte) foram registradas logo após o evento, com 33 terremotos registrados nas 10 horas seguintes, um deles medindo 5.9 graus de magnitude.

Placas tectônicas
O terremoto que ocorreu no Haiti foi provocado pelo deslizamento e compressão entre as placas tectônicas norte-americana e caribenha. Ali, a placa caribenha se move em sentido leste a 20 milímetros por ano com relação à placa superior. Além do deslocamento entre as duas placas, o local em que ocorreu o sismo é também compartilhado por outro sistema de falhas, composto pela falha Setentrional ao norte do Haiti e a falha Enriquillo-Plaintain, no sul do país, que também apresentam movimentos de escorregamento e compressão entre si à razão de 7 milímetros por ano.
Fonte: Apolo11.com
Artes: No topo, gráfico mostra o sistema de placas que atua sobre a região de Hispaniola, responsável pelo terremoto no Haiti. Na sequência, sismograma do evento, como registrado pela estação da Universidade federal do Rio Grande do Norte. Acima, mapa mostra a grande quantidade de tremores que a região de Hispaniola está sujeita. Apesar da grande quantidade de eventos, o sismo de 7.0 graus é o maior já registrado nos últimos 200 anos naquela região. Créditos: Apolo11.com/USGS/UFRN.

2 comentários:

Nasa Ciência disse...

Olá Rennan,foi um acontecimento catastrófico,vimos mais uma vez que a força da natureza é muito maior do que o Homem.A Natureza é repleta de segredos(Será que a Ciência conseguirá desvenda-los no futuro?).Temos que rezar por eles, um lugar pobre que agora nem o nome pobreza serve para o Haiti.Boa Postagem.Paz e Alegria.Foi muito interessante a sua postagem.
Caio Augusto.

Rennan Lopes disse...

Na Realidade a ciência já sabe de muita coisa, não tudo, relacionada a natureza, como ela funciona e tudo mais, o grande problema é que a própria natureza as vezes nos reserva desafios, ou seja, quando se descobre se chega a mais dúvidas, e isso é que é a própria ciência, o prório nome "FÍSICA" significa natureza, portanto, estamos em um barco onde o mar é a ciência, não sabemos onde ele nos conduzirá, basta estudar a natureza pela natureza e assim podemos compreendê-la ou ainda chegarmos a nenhuma conclusão quanto a sua constituição. Grande abraço, e como vc mesmo disse basta rezarmos por todos que sofreram com esta grande trajédia natural, que o Grande Arquiteto Do Universo nos abencoe e abencoe a todos no Haiti.

ENVIE UM EMAIL PARA O BLOG CIÊNCIAS AQUI!!!

Quem sou eu

Minha foto

Sou professor da rede privada de ensino lecionando as disciplinas Física, Química, Matemática e Ciências no COLÉGIO EFETIVO/MARTINS - RN. Graduado em Ciências com habilitação em Matemática - Licenciatura Plena - pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN -, graduado em Física - Licenciatura Plena - pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. Professor de Física aplicada a radiologia, física aplicada ao petróleo e gás e Desenho técnico de cursos técnicos ministrados pela CENPE cursos, unidade Patu RN

Postagens populares

Seguidores