Relógio carbônico

Blog monitorado

Monitoramento de terremotos

Image and video hosting by TinyPic

O sol hoje! clique aqui.

sun

Clique e veja a lua

moon

Clique e veja nosso planeta.

eart

Tempo

OBA

TRADUTOR

Arquivo do Blog

Parceria

QUÍMICA PERIÓDICA

EDUCADORES MULTIPLICADORES

O robô opportunity e sua nova missão.


"Tudo o que tinha que ser feito no interior da cratera foi feito", disse Bruce Banerdt, cientista do projeto dos robôs exploradores Opportunity e Spirit, ligado ao Laboratório de Propulsão a Jato, da Nasa, JPL.

Após completar seu trabalho no interior da cratera, o robô está se preparando para inspecionar as diversas rochas espalhadas pela superfície. Algumas delas, do tamanho de um punho fechado, foram lançadas à distância pelo impacto de objetos que criaram as crateras. Em sua jornada o Opportunity passou por muitas pedras, mas examinou somente algumas.

De acordo com Scott McLennan, pesquisador ligado à Universidade de Nova York e que acompanha o trabalho dos robôs desde que pousaram no planeta, a variedade de pedras no local de exploração deve ser bastante diversificada. "Precisamos ter uma melhor caracterização delas. Quanto mais rochas examinarmos, mais compreenderemos a geologia do local", disse McLennan

O Opportunity entrou na cratera Victoria em 11 de setembro de 2007, após um ano de prospecção ao seu redor. Em seu interior realizou importantes pesquisas, além de registrar imagens altamente detalhadas a partir da beira de um penhasco conhecido como "Cabo verde". Uma das informações retornadas pelo robô sugere que os sedimentos no interior da cratera foram depositados pelo vento e depois modificados por água subterrânea.


Falha Elétrica
Os engenheiros do JPL estão programando o robô para retornar à superfície pelo mesmo local por onde entrou. No entanto, uma falha nos circuitos de alimentação da roda frontal esquerda, ocorrida no último mês, colocou em xeque a capacidade de o robô subir uma rampa tão íngreme.

Apesar de não ter perdido a capacidade de tração, a falha foi a mesma que ocorreu com o gêmeo Spirit, do outro lado do planeta, e que o fez perder os movimentos da roda direita em 2006. Vale lembrar que o Opportunity já está em operação por 10 vezes mais tempo do que o previsto pelos projetistas.




"Se o Opportunity perder uma das rodas, provavelmente nunca sairá da cratera", disse Bill Nelson, um dos engenheiros da missão, também do JPL. Por outro lado, segundo o engenheiro, se o robô conseguir chegar à planície, a mobilidade para expedições não será problema.

Atualmente o opportunity se locomove com seu braço robótico fora da posição de descanso. Após anos de serviço um dos motores do braço está degradado, fazendo com que a equipe optasse em não arriscar a recolocá-lo no lugar, pois mesmo que o motor pare com o braço fora da posição o braço ainda poderá ser usado.

Do outro lado planeta o robô Spirit retomou as observações, após sobreviver diversas semanas no intenso inverno do sul marciano. Entretanto o robô deverá se manter imóvel até que a quantidade de energia captada pelos painéis solares seja suficiente para mantê-lo ativo pelos próximos meses.


Cratera Vitória
Criada há milhões de anos, Vitória é uma cratera de impacto de cerca de 720 metros de diâmetro com quase 70 metros de profundidade. Para chegar até a cratera, o Opportunity viajou 21 meses desde o ponto de aterrisagem, 6 quilômetros dali. Vitória é quatro vezes maior que a cratera Endurance, que a sonda explorou por seis meses em 2004.

Após chegar à borda da cratera Vitória, em 26 de setembro de 2006, o jipe-robô caminhou 700 metros ao seu redor, examinou a composição do solo e das pedras e mapeou sua extensão.

Fotos: No topo, cratera Vitória, em imagem panorâmica feita pelo opportunity. Acima, mosaico em 180 graus mostra a paisagem do local de exploração do robô Spirit, no interior da cratera Gusev. Créditos: Nasa/JPL.

0 comentários:

ENVIE UM EMAIL PARA O BLOG CIÊNCIAS AQUI!!!

Quem sou eu

Minha foto

Sou professor da rede privada de ensino lecionando as disciplinas Física, Química, Matemática e Ciências no COLÉGIO EFETIVO/MARTINS - RN. Graduado em Ciências com habilitação em Matemática - Licenciatura Plena - pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN -, graduado em Física - Licenciatura Plena - pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN. Professor de Física aplicada a radiologia, física aplicada ao petróleo e gás e Desenho técnico de cursos técnicos ministrados pela CENPE cursos, unidade Patu RN

Postagens populares

Seguidores