Relógio carbônico

Blog monitorado

Monitoramento de terremotos

O sol hoje! clique aqui.

sun

Clique e veja a lua

moon

Clique e veja nosso planeta.

eart

TRADUTOR

Arquivo do Blog

Parceria

QUÍMICA PERIÓDICA

EDUCADORES MULTIPLICADORES

RAIOS - MANIFESTAÇÕES VIOLENTAS



Martins RN se destaca novamente com efeitos naturais, dessa vez, o personagem principal de nossa postagem é uma manifestação violenta da natureza que chamamos de RAIOS.
 Na cidade de Martins RN, localizada a aproximadamente 360 Km da capital do Rio Grande do Norte - Natal, e com uma altitude de aproximadamente 720m, nesse período de chuvas descarrega uma quantidade de raios considerável, este ano não foi diferente e a descarga recente de um raio no centro da cidade chamou atenção dos martinenses. A praça Almino Afonso, do centro da cidade, tem palmeiras de altura significativa e uma delas foi atingida por um raio e foi danificada. No mesmo período citado, muitas residências tiveram seus eletrodomésticos danificados pela descarga elétrica e efeitos externos do fornecimento de energia elétrica da companhia responsável pela iluminação artificial noturna.
Curiosos da cidade, chegaram a se questionar o que faz com que um raio possa surgir, e o que seriam os fatores que podem causar a descarga elétrica. Em minhas condições, achei interessante dar uma explicação simples para matar a curiosidade das pessoas no entendimento da natureza, então, vamos nessa.
Os Raios são belos e perigosos, e, a formação dos mesmos, tem teorias. De imediato posso dizer que a descarga de um raio está interligada as cargas de íons que podem deixar as mesmas carregadas eletricamente positivas, ou negativas. Pela definição de um dos princípios da eletrostática cargas de sinais iguais se repelem, e cargas de sinais opostos se atraem, íons podem ser positivos ou negativos. O nosso planeta é um grande corpo que tem a capacidade de descarregar o que estava carregado, e a natureza procura o melhor e menor caminho para descarregar tais cargas, assim, isso ocorre com o deslocamento de cargas negativas que podem percorrer trajetórias da nuvem para o solo (mais comum)- nuvem carregada negativamente; Do solo para a nuvem (menos comum)- nuvem carregada positivamente; E de nuvem para nuvem (meio termo) - da nuvem carregada negativamente para a nuvem carregada positivamente. Se percebermos bem, o deslocamento de cargas negativas são tão potentes que caracterizam plasma. Para facilitar esse deslocamento, a teoria das pontas descreve que os raios irão ser emitidos em locais altos e pontiagudos, e pensando nessas definições, nasceu os para-raios e a blindagem eletrostática. Na cidade de Martins RN, na praça central temos 3 palmeiras e a torre da Igreja Matriz que são para-raios, dessas, apenas o para-raio da matriz é artificial, e, para a descarga, a nuvem carregada "escolheu" o caminho mais curto e mais fácil para neutralização e essa "escolha" foi uma das palmeiras que foi danificada pela potência do raio como mostra as imagens.



As perguntas agora seriam:

Como são formados os raios?

Os raios são formados pela diferença de potencial entre os envolvidos, e ainda, podemos dizer que, o campo elétrico de uma nuvem, ao passar do limite de capacidade dielétrica do ar atmosférico, com variação de 10000V/cm e 30000V/cm, dependendo das condições do local, é significativo, depois dessas condições, surge o raio. Após a nuvem ser ionizada, por colisões das partículas de gelo em seu interior em função da variação de temperatura do ambiente surge a descarga. Com essas excitações, ocorre deslocamento de ar e é definido um o som que chamamos de trovão. Os fenômenos raio e trovão são diferentes, no entanto, surgem simultaneamente. Percebemos primeiro a luz devido a mesma ser mais rápida do que a onda sonora.
Em números, afirmo que, em média, um raio tem 125 milhões de Volts, 200 mil amperes e 25 mil graus Celsius de temperatura. Uma loucura!
No Brasil, devido a sua localização geográfica, e seu tamanho territorial, a intensidade de descarga elétrica é relativamente alta e, já ocorreram acidentes diversos.

Veja abaixo intensidade de emissão de raios no dia 04/03/2020. 

Como se proteger dos raios?

Em uma situação de descarga elétrica a proteção pessoal e proteção de dispositivos elétricos é fundamental, dessa forma, é bom evitar, durante as descargas, ficar em pé em lugares abertos, e ou, próximo a tronco de árvores, antenas, edifícios. Como já foi dito, o raio busca, pela teoria das pontas, o local mais fácil para descarregar. Para os dispositivos elétricos, temos que desativá-los da alimentação elétrica, pois, em descargas elétricas, pode haver aumento na tensão residencial que irá "queimar" os dispositivos. Permanecendo acionados na rede elétrica, é um risco de danos ao dispositiivo que está acionado. Permanecer dentro do veículo durante uma tempestade, é seguro, pois a blindagem eletrostática estará favorecendo segurança, em relação as descargas elétricas. Evitar estar próximo de condutores elétricos como água, e ou materiais elétricos.

Como funciona um para-raios?

Pela teoria das pontas, o para raios é um dispositivo que "atrai" as descargas, quando interligado a terra de maneira segura. Falando em geometria, um para-raio, protege a seu redor, o dobro de sua altura, ou seja, em uma circunferencial de diâmetro quatro vezes maior que sua altura que apresenta centro a localização do para-raio. Em Martins, o para-raio não protegeu a palmeira atingida, devido a mesma, está fora da zona de segurança. 

Período de chuvas pode ser violento quanto a emissão de raios que são belos e perigosos, se fosse para se transformar no The Flash, seria interessante buscar ser um para-raios, no entanto, melhor evitar uma descarga descomunal que pode levar a morte. Sejamos rápidos como o The Flash para entender a natureza, suas belezas, e seus perigos. Este espaço é uma janelinha para você olhar para o seu mundo. Sejam sempre bem vindos. 

Para saber mais:

CLIQUE AQUI para acompanhar a queda de raios pelo mundo.








Category: 0 comentários

0 comentários:

Postagens populares

Seguidores